Pular para o conteúdo principal

Postagens

Postagem em destaque

AS SUFRAGISTAS: mães, filhas e rebeldes. Um enredo apaixonante e audacioso que nos intima a rever conceitos.

Contém spoiler. 

    Ambientado na Londres de 1912, "As Sufragistas" é um filme irretocável. As primeiras cenas se abrem em uma paisagem de trabalho e de vida angustiantes, em uma lavanderia onde o vapor parece tornar o ambiente irrespirável, e em casinhas com cômodos tão apertados que mal é possível se mover. No alto, roupas muito brancas estão estendidas trazendo o contraponto da esperança que acompanha o enredo do início ao fim. Em meio à efervescência das pedras arremessadas contra vidros de uma loja, a jovem Maud Wood Park começa a pensar sobre direitos, algo, até então, abstrato e intangível na vida de quem só conhecia o trabalho estafante e todos os abusos que o envolviam.

    A participação de uma colega de trabalho da lavanderia no movimento sufragista desperta o interesse de Maud. No Parlamento, ela acaba ocupando o lugar da colega, que está impossibilitada de falar, e tem sequência uma cena marcante. Depois de relatar as condições sub-humanas em que trabalhava na la…

Últimas postagens

"Adoráveis Mulheres": a visão de Greta Gerwig sobre uma história feminista que atravessou os séculos.

"Parasita" e o conflito entre aqueles que servem e os que são servidos.

As inquietações do Coringa: caos e desespero na cidade de Gotham e o confronto com a solidão na alma do espectador (contém spoiler)

BIRD BOX: a insuportável dor da consciência

"O Leitor" e os pontos de convergência com a atualidade

O Mito da Maternidade e outras considerações

Considerações sobre política na trilogia "Batman: O Cavaleiro das Trevas"

A objetificação da mulher na contemporaneidade: estereótipos, mercado e o caminho reverso da autonomia.

Cinquenta Tons de Equívocos: uma análise da trilogia de E. L. James sob o viés feminista.

Uma Mente Brilhante e algumas lições